Novidades

Mulheres brilham na ADAC Opel Electric Rally Cup “powered by GSe”

27/07/2023 | Automóvel
  • O projeto pioneiro de ralis também impressiona pela diversidade de género
  • Três pilotos do sexo feminino competem na série de ralis com automóveis elétricos
  • Copilotos do sexo feminino são muito procuradas no mundo dos ralis

 

No passado, o desporto automóvel era frequentemente visto como um domínio masculino, onde as mulheres eram vistas como acessórios decorativos, não no interior do automóvel, mas ao seu lado. Felizmente, estes clichés arcaicos são agora uma relíquia de uma era passada e isto é particularmente verdade na ADAC Opel Electric Rally Cup "powered by GSe". Na terceira temporada da primeira taça de ralis monomarca com automóveis elétricos, as participantes femininas são agora a norma. Incluindo a piloto convidada Cyndie Allemann, nada menos do que nove pilotos ou copilotos do sexo feminino assumiram os seus lugares a bordo do Opel Corsa Rally Electric com motor de 136 cavalos no Rallye du Chablais, na Suíça.

E a competição rapidamente se apercebeu que as mulheres não estão para brincadeiras quando Sarah Rumeau, de forma impressionante, estabeleceu o melhor tempo na primeira etapa especial da ronda de abertura da época de 2023, o ADAC Rallye Sulingen. A jovem de 28 anos, natural de Brouzet-lès-Alès, perto de Avignon, pode ser considerada um talento natural. Há apenas quatro anos - a conselho da sua mãe - entrou pela primeira vez num automóvel de ralis, no âmbito de uma ronda preliminar do programa de apoio "Rallye Jeunes" da associação francesa de desportos motorizados FFSA, venceu a ronda intermédia no departamento ultramarino francês de La Réunion e chegou à meia-final em Nimes.

Desde então, tem participado em ralis com Julie Amblard, vencedora da competição de copilotos do Rallye Jeunes de 2018, ao seu lado. Juntas, Rumeau e Amblard festejaram dois títulos na classificação feminina do Campeonato de França de Ralis. Atualmente, ocupam o quarto lugar na ADAC Opel Electric Rally Cup e estão de olhos postos no seu primeiro pódio.

E a jovem de 28 anos é muito clara quanto às suas ambições. "Persigo os meus objetivos e tento impor-me à concorrência - independentemente do género. É exatamente por isso que considero a ADAC Opel Electric Rally Cup tão interessante. Todas as equipas têm o mesmo equipamento - a dupla no ‘cockpit’ é que faz a diferença. E o ambiente na competição é ótimo, todos são muito amigáveis, apesar da competição ser renhida", afirmou Rumeau.

Por outro lado, a sua colega de equipa da FFSA Academy, Cindy Gudet, seguiu um caminho diferente. Aos 14 anos, a jovem de agora 27 anos, oriunda de uma pequena aldeia perto de Lyon, sentou-se pela primeira vez num kart. Mais tarde, continuou a praticar slaloms antes de se tornar a "rainha da montanha" francesa. Ganhou cinco vezes a classificação feminina do campeonato francês de montanha e, no ano passado, ficou em quarto lugar na geral deste intenso campeonato.

Gudet vê o programa da FFSA Academy na ADAC Opel Electric Rally Cup como "a escola perfeita para desenvolver as minhas capacidades de condução. O salto das corridas de montanha para os ralis é enorme. Na montanha estamos sozinhos no automóvel, os ralis são muito mais complexos. Temos um copiloto, conduzimos de acordo com as notas e as etapas são muito mais longas do que numa subida de montanha. Não é fácil habituarmo-nos a tudo, mas estamos a aprender passo a passo. Nunca me preocupei com quem estou a competir. Sou piloto e estou tão motivada e determinada como qualquer outro. A ADAC Opel Electric Rally Cup é fantástica. A competição tem um excelente perfil e a organização é de topo."

Enquanto Gudet se dedicou aos ralis depois de se ter estabelecido noutros desportos motorizados, Cristiana Oprea tem um passado completamente diferente. A jovem de Bucareste, de 31 anos, só se sentou no cockpit de um automóvel de ralis pela primeira vez aos 21 anos, enquanto especialista em relações públicas. "Fiquei logo viciada e quis descobrir se também o podia fazer", disse a romena. Ao participar na ADAC Opel Electric Rally Cup, Oprea vê-se a si própria como uma embaixadora das mulheres nas corridas: "O desporto automóvel é um dos poucos desportos em que as mulheres e os homens têm as mesmas condições. O género é irrelevante durante a competição e também me sinto privilegiada por representar e inspirar as mulheres no desporto automóvel."

A opinião geral de Oprea sobre a ADAC Opel Electric Rally Cup diz tudo. "É uma série de corridas fantástica! As mulheres e os homens no topo são incrivelmente talentosos e muito rápidos, o que também me ajuda a continuar a melhorar. Adoro os ralis, o espírito desportivo e a atmosfera cooperativa e amigável da taça", afirmou.

O copiloto: Talento organizacional, psicólogo e guia

Embora as mulheres ainda estejam sub-representadas ao volante de um automóvel de corrida em comparação com os seus rivais masculinos, o balanço é muito mais equilibrado entre os copilotos. Pelo contrário, as mulheres são por vezes até muito populares no chamado "hot seat". "Penso que as mulheres não se apressam, pensam mais e tentam analisar as coisas com calma antes de as enfrentar. As mulheres tendem a ser mais calmas e mais capazes de aliviar o stress do condutor. São normalmente bem organizadas e conseguem concentrar-se em várias coisas ao mesmo tempo", explicou Julie Amblard. A jovem de Dijon, de 29 anos, vem de uma verdadeira "família dos ralis": "O meu pai era piloto de ralis e a minha mãe copiloto. Conheceram-se num rali e, basicamente, transmitiram-me os genes do desporto automóvel".

O mesmo se aplica a Cécile Marie (37), que está a apoiar Cindy Gudet na sua época de estreia nos ralis: "O meu pai era copiloto, as minhas irmãs também. Penso que as mulheres são organizadas e cuidadosas. Muitos pilotos também preferem uma mulher como copiloto porque a voz clara no intercomunicador é mais fácil de entender."

Cornelia Nemenich, que recentemente celebrou a sua terceira vitória da época na ADAC Opel Electric Rally Cup ao lado de Max Reiter no Weiz Rally, menciona outro aspeto: "Uma mulher é normalmente mais pequena e mais leve do que um homem, o que é um fator importante para muitos condutores. A psicologia também desempenha certamente um papel importante. A voz de uma mulher pode ter um efeito calmante em alguns pilotos. Tudo o resto não é específico do género".

A alemã de 38 anos já participou em várias temporadas de ralis e pode, por isso, dar uma opinião qualificada: "Sinto-me muito confortável na ADAC Opel Electric Rally Cup. O ambiente entre as equipas é único. No final do dia, não importa se o seu automóvel de ralis é movido por um motor elétrico ou por um motor de combustão. Existem certamente diferenças em termos de condução - mas para mim o trabalho no ‘cockpit’ é o mesmo."

Christina Ettel não pode deixar de concordar. A copiloto de 36 anos ajudou recentemente o seu piloto Luca Pröglhöf a subir ao pódio duas vezes seguidas. Para a austríaca, a psicologia desempenha um papel decisivo tanto dentro como fora do automóvel de ralis: "Penso que as mulheres são um pouco mais sensíveis quando lidam com o piloto. Porque cada piloto é um indivíduo. Por exemplo, ao ler as notas, o tempo é uma questão importante e nem todos os pilotos precisam do mesmo tempo. É aqui que a empatia é necessária. E, de qualquer forma, a multitarefa está-nos no sangue".

Ettel é uma acérrima defensora da primeira taça de ralis monomarca com veículos elétricos do mundo: "Estou entusiasmada com a ADAC Opel Electric Rally Cup. Este projeto pioneiro é importante porque todos nós não sabemos o que o futuro nos trará. A Opel está a implementar a taça de forma extremamente profissional. Apesar de toda a pressão competitiva, existe uma grande coesão entre as equipas. A batalha é travada nas etapas especiais, mas pelo meio divertimo-nos juntos. E a ADAC Opel Electric Rally Cup é a primeira taça monomarca em que tenho a certeza de que todos têm o mesmo equipamento. Isso torna a batota, em primeiro lugar, inútil e, em segundo lugar, impossível!"

Ver todas as novidades »

Campanhas Automóveis

2020_Abarth-500e_800x600.webp

NOVO ABARTH 500E 100% ELÉTRICO Por 410€/Mês

18/07/2024
2019_Jeep_SUMMIT_800x600.webp

Novo Jeep Avenger Summit Plus 100% Elétrico Desde 199€/mês + Iva

15/07/2024
2015_800x600.webp

Teste Drive Ford Explorer 100% Elétrico 22 a 24 julho | CAM Porto

10/07/2024
2017_Fiat-600_E_800x600.webp

Fiat 600 Hybrid desde 159€*/mês c/ IVA

10/07/2024
1960_Fiat-600e_800x600.webp

Fiat 600e 100% elétrico desde 279€*/mês

10/07/2024
2008_800x600.webp

Oferta Imperdível: Ford Mustang Mach-E por 51.990€

05/07/2024
2000_800x600.webp

S01 Sem Entrada e Sem Emissões

03/07/2024 | Micromobilidade
2001_800x600.webp

Oportunidade imperdível sobre 4 rodas

03/07/2024 | Micromobilidade
2002_desiknio-financiamento-800x600.webp

Começa o verão a pedalar para um futuro sustentável 🚲

03/07/2024 | Micromobilidade
2003_eli-800x600.webp

Eli Zero nas tuas mãos por apenas 149€/mês 🚗

03/07/2024 | Micromobilidade
2004_torrot-financiamento-800x600.webp

Até julho, compra a tua Torrot por apenas 79€/mês 🏍

03/07/2024 | Micromobilidade
2005_800x600_copia.webp

Wall Box e não só? O verão chegou e em grande!

03/07/2024

Siga-nos

Já segue o Grupo Auto-Industrial?
Conheça, em primeira mão, todas as novidades.

Newsletter

Inscreva-se e receba regularmente informação
personalizada no seu email.

Arbitragem de conflitos de consumo

Conforme Lei nº 144/2015, o consumidor pode recorrer ao CNIACC – Centro Nacional de Informação e Arbitragem de Conflitos de Consumo, com sítio em www.cniacc.pt.
O recurso a esta entidade apenas se aplica aos casos de arbitragem necessária previstos pelo artigo 14.º da Lei n.º 24/96, de 31 de julho - Lei de Defesa do Consumidor- na redação dada pela Lei n.º 63/2019, de 16 de agosto.