Novidades

O Opel número 75 milhões: Um novo Grandland GSe "made in Eisenach"

08/11/2022 | Automóvel
  • Tradicionalmente inovador: O Grandland GSe "Jubileu" combina tecnologias de vanguarda e prazer de condução
  • Aniversários: 160 anos da Opel, 40 anos do Corsa e 30 anos da fábrica de Eisenach
  • Modelos milionários lendários: Opel Kapitän, Rekord, Senator e Omega

O ano de 2022 é um de celebrações na Opel - a marca com sede em Rüsselsheim está já a celebrar o seu 160º aniversário em conjunto com o 30º aniversário da fábrica de Eisenach, na Turíngia. E um dos best sellers do fabricante de automóveis faz igualmente 40 anos: o bem-sucedido Opel Corsa que já vendeu milhões de unidades. Agora a Opel pode acrescentar mais um feito marcante: A marca com o Blitz atingiu o marco de produção de 75 milhões de unidades. Veículos que sempre tornaram as inovações acessíveis para uma vasta gama de compradores e que, assim, levaram a mobilidade às pessoas. Modelos altamente eficientes que combinam a emoção e a praticidade no quotidiano. Como representante de 75 milhões de automóveis Opel, um "jubileu" eletrificado e sem emissões locais, um Grandland GSe saiu hoje da linha de produção - um Opel "made in Eisenach".

"75 milhões de automóveis Opel - um verdadeiro marco na história da produção automóvel da Opel. Este número impressionante mostra o importante papel da Opel na democratização das tecnologias e soluções de mobilidade ao longo das décadas e para o futuro. Estamos a redefinir a mobilidade - com o objetivo claro de nos tornarmos uma marca totalmente elétrica na Europa até 2028, com automóveis que oferecem prazer de condução com responsabilidade. Os nossos novos modelos desportivos e eletrificados GSe são mais um passo nesta direção", disse Florian Huettl, CEO da Opel.

A Opel anunciou recentemente que iria relançar a sigla GSe como uma nova submarca para modelos dinâmicos e eletrificados, com GSe a significar agora Grand Sport electric. O novo Opel Grandland GSe segue o ritmo acelerado do Astra GSe e do Astra Sports Tourer GSe. É um híbrido plug-in de alto desempenho com tração elétrica às quatro rodas - um verdadeiro pioneiro na classe dos SUV compactos.

O Grandland GSe combina um motor 1.6 litros a gasolina, sobrealimentado, e dois motores elétricos - um em cada eixo - para uma elevada potência máxima do sistema de 300 cv (consumo provisório de combustível WLTP, ponderado, combinado[1]: 1,3 l/100 km; emissões de CO2 de 31-29 g/km). O propulsor híbrido plug-in torna o Grandland GSe num potente automóvel desportivo com tração elétrica integral para uma ótima motricidade e poder de aceleração líder na sua classe. A aceleração de 0 a 100 km/h é concluída em apenas 6,1 segundos e a velocidade máxima é 235 km/h (135 km/h em modo puramente elétrico).

Tal como os seus irmãos Astra GSe, os pré-requisitos para o carácter especialmente dinâmico e para o prazer de condução do Opel Grandland GSe residem na sua calibração única de suspensão e direção, que recorre a molas e amortecedores mais firmes com tecnologia FSD (Frequency Selective Damping) da KONI. Isto permite diferentes características de amortecimento para um comportamento ágil e um conforto superior. O novo Grandland GSe mostra assim como traz tecnologias revolucionárias para a classe dos compactos e, ao mesmo tempo, combina o prazer de condução com responsabilidade.

Marcos de produção: Desde o primeiro milhão até ao Opel número 75 milhões

Até ao veículo número 75 milhões, a Opel lançou muitos best sellers e modelos lendários ao longo de mais de 120 anos de produção automóvel. Com modelos como o 4/8 hp "Doktorwagen" de 1909 ou o 4/12 hp "Laubfrosch", a Opel transformou um veículo de prestígio para os mais abastados em automóveis para um público muito mais vasto logo numa fase inicial.

Em 1940, é produzido o Opel número 1 milhão, um Kapitän com carroçaria autoportante e suspensão dianteira independente, um design que - graças ao seu baixo peso - assegurou na época um melhor desempenho de condução e um baixo consumo de combustível. O automóvel com o símbolo do relâmpago número 2 milhões segue-se em 1956 - também um Kapitän. Uma característica especial: A Opel foi o primeiro fabricante alemão da altura a atingir valores de produção tão elevados. Consequentemente, a empresa transforma o veículo do "jubileu" num automóvel único: Como extraordinário topo de gama da marca, o Opel "branco-creme" recebe um revestimento em ouro de 24 quilates em todas as peças cromadas.

Os "milhões" seguiram-se cada vez mais depressa nos anos subsequentes. O aumento da velocidade de produção não é apenas uma expressão do rápido avanço da motorização - a democratização da mobilidade - mas também o resultado de uma produção cada vez mais moderna e eficiente. Apenas 15 anos depois, em 1971, o Opel número 10 milhões sai da linha de produção na fábrica de Rüsselsheim: um Rekord C Caravan. Um jubileu que também é celebrado em grande estilo. Foi entregue um Opel da produção diária dos "10 milhões" a cada um dos ministros presidentes dos estados federais nos quais a Opel tinha fábricas na época: Hesse (Rüsselsheim), Renânia do Norte-Vestefália (Bochum) e Renânia-Palatinado (Kaiserslautern).

Em 1983, um Senator CD cinzento-prateado é o Opel número 20 milhões a deixar a unidade de produção em Rüsselsheim. E na mesma década, o modelo Opel número 25 milhões - um Omega A Caravan - é produzido na fábrica-sede da Opel. O Omega A foi o modelo de topo da marca desde meados da década de 1980 até ao início dos anos 2000, e o pequeno Opel Corsa e o sucessor do Kadett, o Astra, tornam-se, também, modelos muito bem-sucedidos com milhões de unidades comercializadas na classe dos compactos. Após a reunificação alemã, cerca de 4,13 milhões de Astra F saíram da linha de produção entre 1991 e 1997. Isto faz dele o modelo Opel mais vendido até aos dias de hoje. A honra do automóvel Opel número 50 milhões é mais uma vez concedida ao Omega, unidade que deixa a fábrica em dezembro de 1999 sob a forma de uma berlina de cor prateada da então amplamente atualizada geração B.

E agora segue-se o próximo grande marco com o Opel número 75 milhões: Com o novo Grandland GSe, a marca exemplifica como o prazer de condução especialmente desportivo pode ser combinado de forma responsável com o design emocional e uma abrangente praticidade no quotidiano. Um conceito de automóvel e de condução com o qual a marca continua a avançar o futuro da mobilidade. Está igualmente confirmado que um modelo que é, também, livre de emissões locais, bem como totalmente elétrico, deixará as naves da fábrica por ocasião do próximo aniversário de produção da Opel.

Ver todas as novidades »

Campanhas Automóveis

1960_Fiat-600e_800x600.webp

Fiat 600e 100% elétrico desde 279€*/mês

10/07/2024
2015_800x600.webp

Teste Drive Ford Explorer 100% Elétrico 22 a 24 julho | CAM Porto

10/07/2024
2017_Fiat-600_E_800x600.webp

Fiat 600 Hybrid desde 159€*/mês c/ IVA

10/07/2024
2008_800x600.webp

Oferta Imperdível: Ford Mustang Mach-E por 51.990€

05/07/2024
2000_800x600.webp

S01 Sem Entrada e Sem Emissões

03/07/2024
2001_800x600.webp

Oportunidade imperdível sobre 4 rodas

03/07/2024
2002_desiknio-financiamento-800x600.webp

Começa o verão a pedalar para um futuro sustentável 🚲

03/07/2024
2003_eli-800x600.webp

Eli Zero nas tuas mãos por apenas 149€/mês 🚗

03/07/2024
2004_torrot-financiamento-800x600.webp

Até julho, compra a tua Torrot por apenas 79€/mês 🏍

03/07/2024
2005_800x600_copia.webp

Wall Box e não só? O verão chegou e em grande!

03/07/2024
2006_800x600.webp

Retoma do seu carro com desconto de 500€!

03/07/2024
1931_800x600.webp

Recarregamento de Gás para o Ar Condicionado do teu Opel

11/04/2024

Siga-nos

Já segue o Grupo Auto-Industrial?
Conheça, em primeira mão, todas as novidades.

Newsletter

Inscreva-se e receba regularmente informação
personalizada no seu email.

Arbitragem de conflitos de consumo

Conforme Lei nº 144/2015, o consumidor pode recorrer ao CNIACC – Centro Nacional de Informação e Arbitragem de Conflitos de Consumo, com sítio em www.cniacc.pt.
O recurso a esta entidade apenas se aplica aos casos de arbitragem necessária previstos pelo artigo 14.º da Lei n.º 24/96, de 31 de julho - Lei de Defesa do Consumidor- na redação dada pela Lei n.º 63/2019, de 16 de agosto.