Novidades

Elétrico ou Combustão?

06/12/2022 | Automóvel

A forma como os motores elétricos funcionam pode ainda ser um mistério para muitos, no entanto, o seu funcionamento é mais simples do que aquilo que possa pensar.
Descubra quais são as principais diferenças entre o funcionamento dos motores elétricos e dos motores a combustão e decida qual a melhor opção para si!

Motores elétricos vs Motores a combustão: como funcionam?

A conversão de energia nos motores elétricos e nos motores a combustão é totalmente diferente.

  • No motor a combustão encontramos um mecanismo de manivela, composto por cilindros, pistões, válvulas, cambota, entre outros elementos, que através de um processo termodinâmico (exotérmico) queima combustível convertendo a energia química em energia cinética para movimentar o carro.
  • No caso dos motores elétricos, encontramos uma bateria elétrica e um motor elétrico com a interação de indução eletromagnética entre um estator e um rotor para impulsionar o veículo. Este motor atua como um gerador, sendo que quando o veículo trava ou desacelera, a energia é direcionada de volta para a bateria, recarregando-a.

Existem diferenças na performance?

Relativamente à performance, os carros elétricos são capazes de atingir uma performance elevada de forma instantânea. Isto deve-se ao facto de, no motor elétrico, o binário máximo estar disponível quase a partir das zero rotações, diminuindo à medida que atinge um maior número de rotações por minuto (RPM).
Nos motores a combustão, a potência e o binário do motor aumentam à medida que as rotações também aumentam, sendo que a potência máxima vai sendo atingida de forma mais gradual.

Como é medido o consumo dos motores elétricos?

Como sabemos, o consumo de um motor a combustão é medido em litros de combustível gasto em x quilómetros. Já nos motores elétricos, o consumo é medido kWh por x quilómetros de viagem.

Qual a motorização que custa mais a manter?

Atualmente, carregar um veículo 100% elétrico custa menos que abastecer um veículo a combustão. Também, no que toca à manutenção, a manutenção dos motores elétricos é menos dispendiosa e não tão frequente quanto a dos motores a combustão, devido à quantidade de elementos mecânicos que estes últimos possuem.

Assim, podemos concluir que os motores a combustão acabam por ser mais dispendiosos que os motores elétricos durante a sua utilização.

Ver todas as novidades »

Campanhas Automóveis

2021_Early-bird-2025_800x600.webp

Fendt Early Bird 2025

23/07/2024 | Agrícola
2022_work-smart_top-link_800x600.webp

Work Smart

23/07/2024 | Agrícola
2020_Abarth-500e_800x600.webp

NOVO ABARTH 500E 100% ELÉTRICO Por 410€/Mês

18/07/2024
2019_Jeep_SUMMIT_800x600.webp

Novo Jeep Avenger Summit Plus 100% Elétrico Desde 199€/mês + Iva

15/07/2024
2015_800x600.webp

Teste Drive Ford Explorer 100% Elétrico 22 a 24 julho | CAM Porto

10/07/2024
2017_Fiat-600_E_800x600.webp

Fiat 600 Hybrid desde 159€*/mês c/ IVA

10/07/2024
1960_Fiat-600e_800x600.webp

Fiat 600e 100% elétrico desde 279€*/mês

10/07/2024
2008_800x600.webp

Oferta Imperdível: Ford Mustang Mach-E por 51.990€

05/07/2024
2000_800x600.webp

S01 Sem Entrada e Sem Emissões

03/07/2024 | Micromobilidade
2001_800x600.webp

Oportunidade imperdível sobre 4 rodas

03/07/2024 | Micromobilidade
2002_desiknio-financiamento-800x600.webp

Começa o verão a pedalar para um futuro sustentável 🚲

03/07/2024 | Micromobilidade
2003_eli-800x600.webp

Eli Zero nas tuas mãos por apenas 149€/mês 🚗

03/07/2024 | Micromobilidade

Siga-nos

Já segue o Grupo Auto-Industrial?
Conheça, em primeira mão, todas as novidades.

Newsletter

Inscreva-se e receba regularmente informação
personalizada no seu email.

Arbitragem de conflitos de consumo

Conforme Lei nº 144/2015, o consumidor pode recorrer ao CNIACC – Centro Nacional de Informação e Arbitragem de Conflitos de Consumo, com sítio em www.cniacc.pt.
O recurso a esta entidade apenas se aplica aos casos de arbitragem necessária previstos pelo artigo 14.º da Lei n.º 24/96, de 31 de julho - Lei de Defesa do Consumidor- na redação dada pela Lei n.º 63/2019, de 16 de agosto.